sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Quanto vale 1 Segundo ?

"Corremos para ganhar tempo na vida, quando precisamos de um segundo de decisão por Jesus para ganharmos a Eternidade."


Dificilmente damos valor à unidade de tempo: o segundo. Usamos a expressão até como uma forma de pedir para alguém aguardar um pouco; "só um segundinho", como se o segundo pudesse ser maior ou menor. Também usamos essa expressão, às vezes, para tentarmos dizer que não vai demorar muito, mas geralmente leva tempo. Durante as Olimpíadas, podemos ter uma noção maior de quanta diferença pode fazer um segundo, ou valores menores dele como décimo, centésimo ou até milésimo de segundo. Estas frações desegundo podem estar entre o primeiro lugar e o segundo. Quando vemos o corredor fantástico Usain Bolt ou o nadador excepcional Michael Phelps, vemos quanta diferença faz esse segundo, ou melhor milésimo de segundo. A vitória deles estava completamente ligada a performance que eles teriam na competição.


Assim é na nossa vida, no dia a dia, os segundos esperando uma conexão de computador parecem uma eternidade, dias alegres parecem que passam num "segundo". Quando acionamos um interruptor ligando uma lâmpada, parece que é instantâneo, como se o tempo medido em segundos não existisse, pois, a Luz tem a velocidade absurda de 300.000 Km/s. Embora tenha aprendido isso quando criança, ainda me espanto, "uau", isso é incrível! Não nos damos conta de como um segundo pode ser importante. Citei acima o nadador Michael Phelps, que busca a cada competição ganhar a medalha de ouro, com persistência e disciplina nos treinos. Ele, porém, há pouco tempo depois de passar por sérios problemas pessoais que o levaram a pensar em suicídio, entendeu que precisava se encontrar com Aquele que ganhou uma "coroa de espinhos" para nos libertar e salvar: Jesus. Pois em Mc15:17 lemos: "Vestiram-no de púrpura e, tecendo uma coroa de espinhos, lha puseram na cabeça."


Nossa corrida no dia a dia nos torna “atletas” das nossas atividades, e na maior parte da nossa vida, não temos uma premiação especial nos aguardando. Hoje após mais de 35 anos formado, continuo trabalhando e procurando me posicionar bem na competição profissional que estou inserido, porém, tenho a certeza de ter encontrado aquilo que nos é mais valioso: a salvação. Com ela os bilhões e bilhões de segundos vividos aqui na Terra, não podem ser comparados com a eternidade a qual nem imaginarmos conseguimos pois está escrito: “Mas, como está escrito: As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam”.1 Coríntios 2:9


Hoje Phelps, perseverando na fé, poderá dizer como o Apóstolo Paulo


"Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a "coroa da justiça" me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda." (2 Tim 4:7) Hoje podemos entender que os segundos que Phelps nada numa raia de piscina lhe rendem medalhas de ouros, porém, em poucos segundos de reflexão, ele tomou uma atitude que lhe renderá uma coroa de justiça e a vida eterna. Qual segundo foi o mais importante?
Continuar lendo...

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Galileu, ou o Homem da Galileia?


"Como historiador preciso admitir que este pobre pregador da Galileia inevitavelmente é o centro da história." Herbert George Wells

É muito interessante o que de tempos em tempos lemos nas mais diversas fontes de comunicação sobre aquilo que a Bíblia traz sobre milagres e ou acontecimentos registrados nos 66 livros bíblicos. Lemos sobre os mais diversos assuntos, como dilúvio, abertura do mar Morto, Estrela de Belém e tantos outros. Acho interessante, pois os cientistas que apresentam suas teorias sobre fatos bíblicos não tentam dizer que tais fatos não ocorreram e sim tentam dar uma explicação ao inexplicável, sugerindo uma simples coincidência. A revista Galileu de Junho de 2015 traz a seguinte chamada de uma reportagem: “Estrela de Belém pode ter sido fenômeno parecido com o que ocorre nos céus hoje”. E na reportagem explicam que pode ser uma conjunção entre os planetas Vênus e Júpiter. Qualquer pessoa fazendo uma busca na internet pode conferir essas colocações.


No site da revista Veja em 2015 temos a seguinte manchete: “A divisão do Mar Vermelho pode ser explicada pela ciência”. E o cientista Carl Drews, da Universidade do Colorado nos EUA, tenta mostrar que a travessia pode ser explicada pela força dos ventos. Querer reduzir a explicações científicas esses milagres, no meu entender, só comprova que os fatos aconteceram. Como podemos ler em 1Cor 1:19 e 20: “Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo?


E assim, milagre por milagre, eles não contestam que tudo existiu, porém, jogam teorias e mais teorias e, com isso, os que não conhecem a Deus passam a ter dúvidas. Se alguém tem dúvidas que isso aconteceu, as próprias colocações deles te mostram que sim, de fato aconteceu, eles estudaram o fenômeno. Se o mar se abriu no momento em que os Hebreus precisavam, para mim não significa que ventos aleatórios agiram, mas sim, que a mão poderosa do Deus Soberano e protetor deste povo agiu. Em Provérbios 9:10 traz: “O temor do Senhor é o princípio sabedoria; e o conhecimento do Santo é o entendimento”. Quando essa verdade é alcançada, podemos vislumbrar as maravilhas que Deus fez e sempre fará e ficamos imaginando e sonhando com aquilo que Ele fala em sua palavra; que nem olhos viram o que estamos para conhecer um dia; mas isso será apenas na eternidade quando poderemos conhecer por completo o Infinito.


"Religião e ciência natural combatem unidos numa batalha incessante contra o ceticismo e o dogmatismo, contra a descrença e a superstição. E a palavra de ordem nesta luta sempre foi e para todo sempre será: em direção a Deus!" Max Planck
Continuar lendo...

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Turma Querida de 1974


Mudo hoje o objeto que mais foco no meu blog, que é ciência e fé, para ressaltar um tema muito caro para mim; a amizade. Sou natural da cidade de Castro-PR, que carinhosamente e de modo ufanista chamo de “Capital do Mundo”, o que não deixa de ser verdade, pois nasci lá, portanto, é o centro do Mundo para mim. 

Mas o efeito colateral de eu estar vivendo longe, é que precisei me afastar dos meus amigos, muitos deles do meu tempo de escola quando cursei o segundo grau; naquela época chamado de Científico. Especificamente a Turma de 1974. Creio que o último dia de aula que tivemos não nos atentamos quando o professor ou professora fez a última chamada. Naquele dia em que os nossos nomes ecoaram pela derradeira vez dentro do Colégio Estadual Major Vespasiano Carneiro de Mello, nossos sonhos e pretensões, pelo menos para a maioria, estavam fora da nossa cidade, pois as faculdades ficavam em outras cidades. E não conseguimos mensurar com exatidão a importância dessa “última chamada”.


E aí começou o distanciamento, cada um em busca de seus sonhos e aspirações, quando novas amizades foram feitas e embora lembrássemos algumas vezes desses colegas de escola, o tempo e a distância foram esfriando esse relacionamento. Porém, três colegas, inconformados com o nosso distanciamento (Ana Maria, Tereza Cristina e Sérgio Geisler), resolveram encurtar a distância e entrelaçar nosso grupo pelo WhatsApp, e a partir daí sugeriram encontros, o primeiro realizado em maio e o seguinte no dia 12 de junho de 2016, ou seja: 42 anos após a nossa “última chamada”. Confesso que voltei no tempo, lembrei-me das situações cômicas que ocorriam em sala de aula, e nos apelidos como: Loko, Shula, Sabugo, Pinga, Sabiá e por aí vai. Foi emocionante aguardar os dias que faltavam para o encontro, me senti como um adolescente. Sentimento muito bom que com relação a esses amigos estava se esvaecendo na memória. Mas, pudemos ver que não estava apagado, e sim escondido num cantinho do nosso cérebro, ou melhor, da nossa alma.


E, parafraseando Francis Bacon, podemos dizer que ter amigos é bom pois multiplicamos as alegrias e dividimos as tristezas. E não podemos nem devemos também nos esquecer de um ditado bíblico que está no livro de Proverbios 18:24: “O homem de muitos amigos deve mostrar-se amigável, mas há um amigo mais chegado do que um irmão”. Essa é uma verdade que precisamos lembrar sempre.


No nosso primeiro reencontro, visitamos a nossa antiga escola, rimos, visitamos lugares turísticos, tiramos fotos e pudemos sentir que o tempo e a distância não venceram nossa amizade e que as lembranças afloraram muito vivas e temos conversado desde então em grupo pelo WhatsApp, e também em particular. Vimos e sentimos que aquilo que nasceu na adolescência continua forte e verdadeiro até agora. Não somos somente um número na lista de chamada, somos muito mais que isso, somos Amigos. E saibam meus amigos queridos, fiquei feliz com nosso reencontro, muito feliz, obrigado por vocês existirem. Pois como disse Elmer G Letterman: “Só existe uma coisa melhor do que fazer novos amigos: conservar os velhos”. Portanto, deixo abaixo as palavras de um amigo especial e único ao qual me uni de forma indissolúvel (coincidentemente em 1974) e que me acompanha por onde eu vou me ajudando em tudo pois Ele age como nosso irmão mais velho. Esse amigo é Jesus Cristo, e em João 15 de 12 a 15 ele diz: “O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.

"Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer”.



















































Continuar lendo...

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Cristão no ministério de ciência e tecnologia?



O coração do homem planeja o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos. Provérbios 16:9


Recentemente por ocasião da interinidade do presidente Michel Temer, ouvimos um coro de insatisfeitos com a indicação de um cristão para o cargo. Hordas de políticos e jornalistas se pronunciaram dizendo que era incompatível, um acinte alguém que crê no criacionismo à frente de um ministério onde o ser evolucionista e, portanto, ateu, deve ser o referencial principal da indicação e, portanto, não se leva em conta a capacidade gerencial e intelectual. Algumas perguntas me surgem de imediato: Todos os outros ex. ministros foram ateus? Ou é uma prevenção contra os evangélicos? O evolucionismo deixou de ser Teoria para ser uma lei da ciência? Vemos aí uma tentativa de desqualificar alguém pelo que crê, e não pelo que é. Não conheço o indicado, nem sei das suas qualificações, e nem quero entrar aqui na questão sobre a que igreja ele pertence, mas sim na discriminação religiosa e não intelectual.


Será que os detratores lembram que as Universidades Harvard, Princenton, Yale, bem como a Universidade Mackenzie e outras brasileiras foram fundadas por religiões reformadas? Esqueceram que Newton, Boyle, Bacon e centenas de outros eram cristãos? Como ficam estes detratores quando falam, maravilhados, do término do Genoma humano e se esquecem que o homem que comandou o projeto, o cientista Francis Sellers Collins, é um Cristão convicto, escritor do livro DNA Linguagem de Deus. Por alguns jornalistas e políticos, esse grande cientista não seria o diretor geral do projeto simplesmente por ser criacionista.


Isso vai continuar sendo assim, pois nos classificam, em público, como irracionais por crermos, e eu afirmo: para crer não podemos usar a razão e sim a fé, porém, essa fé, além de ser confirmada no coração, é confirmada no dia a dia pela mão poderosa de Deus nos guiando e nos deslumbrando com feitos sobrenaturais. O conhecimento terreno, importante e necessário, não pode suplantar o que sentimos e cremos, como disse Humboldt: "Os mistérios de Deus não são compreendidos; são adorados." Eu, por minha vez, irei racionalizar aquilo que é terreno, mas, crerei de todo meu coração e ser naquilo que é divino.


Termino com a frase de Augustin Louis Cauchy (1789-1857), matemático e físico:"Sou um cristão, isto significa: creio na divindade de Jesus Cristo juntamente com Tycho Brahe, Copérnico, Descartes, Newton, Fermat, Leibniz, Pascal, Grimaldi, Euler, Guldin, Boscowitsch, Gerdil, com todos os grandes astrônomos, todos os grandes pesquisadores das ciências naturais, todos os grandes matemáticos dos séculos passados. E se porventura me perguntarem pela razão, terei prazer em explicá-la. Verão que minha convicção é resultado de estudo cuidadoso e não de preconceitos."

Continuar lendo...

quinta-feira, 3 de março de 2016

A CIÊNCIA GRAVITA EM TORNO DE DEUS






“Quando abro a porta de uma nova descoberta já encontro Deus lá dentro”

Albert Einstein.





A busca de explicações para tudo que se refere ao Universo e a vida é uma viagem científica num barco intelectual, porém, só as encontraremos por completo quando mudarmos o transporte para o barco espiritual. Quem não leu as notícias recentes sobre o avanço da física com a comprovação do Bóson de Higgs (2013) e, nesse ano, a comprovação das ondas gravitacionais? Com o Bóson de Higgs, pretendia-se provar que essa partícula seria a chave para a comprovação da origem de todos as outras partículas elementares que formam o átomo e dali as moléculas e, portanto, segundo eles, de tudo que existe. E com as ondas gravitacionais comprovariam que o espaço no Universo age como um tecido integral que quando atingido em um ponto por algum fenômeno de impacto, esse impacto geraria uma formação de ondas que viajam pelo espaço como as ondas que aparecem numa lagoa de águas paradas ao jogarmos uma pedra na sua superfície. “Ele (Deus) estende o norte sobre o vazio; e suspende a terra sobre o nada.” Jó 26:7


Mas aonde nos leva isso? No meu entender, baseado na palavra de Deus, nos leva a outras perguntas, como os próprios cientistas falam. Pois, em Deuteronômio 29:29 lemos: “As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei. ” Vamos, como homens, continuar buscando, porém, nem tudo nos será permitido descobrir, pois a revelação total de Deus e do Universo, só teremos quando da volta de Jesus ou da nossa partida para a morada eterna junto a Ele. Porém, o que vemos sempre no avanço da ciência é que as respostas nos mostram que o mundo não é um acaso e sim obra perfeita da mão do Criador. Não podemos nos afastar d’Ele, pois gravitamos ao Seu redor. Coloco novamente no artigo uma frase de Einstein que deixa claro isso:


“Quanto mais me aprofundo na Ciência mais me aproximo de Deus.”
Continuar lendo...

sábado, 6 de fevereiro de 2016

HIPOTERMIA ESPIRITUAL


“O calor do Sol pode aquecer nosso corpo, mas não pode aquecer o nosso espirito e sem esse calor divino, seremos pessoas frias num mundo com hipotermia de calor humano - o Amor. ”

O Sol situa-se a mais ou menos 150 milhões de quilômetros da Terra, o que nos permite ter uma pequena quantidade de calor vinda dele. Graças a Deus que essa distância é grande! Alguns estudos sugerem que a temperatura na borda dele chega a 5500 ͦC podendo atingir 15 milhões de graus centígrados no centro. Pode-se facilmente imaginar que se ele estivesse posicionado mais perto seríamos queimados e mais distante congelaríamos. Esse fenômeno para nós passa despercebido, pois não precisamos de nenhuma tecla que o acione.

Agora, o que muitos também não têm observado é que não temos nos “agasalhado” no amor de Deus, e isso nos leva a uma frieza espiritual não medida por termômetros tais quais conhecemos no nosso dia a dia, mas nos leva a uma “temperatura emocional” ou a emoções congeladas como Jesus já advertiu em Mat 24:12: “...e, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará”. Alguns que não creem em Deus podem até discordar, achando que certas emoções que sentem não necessitam d’Ele. Ledo engano, a falta de Deus em nossas vidas nos deixa como se estivéssemos com uma armadura ou um escudo de isopor que nos isola do sofrimento humano ao nosso redor e reduz o nosso mundo a esse ambiente falsamente aquecido. Os sofrimentos humanos que vemos ao redor do mundo; como guerras, refugiados, assassinatos e outras violências como as causadas pelo ISIS, parecem tão distante de nós.

Você pode se aquecer sob os raios do Sol, mas seu coração pode continuar frio se a presença de Deus em sua vida estiver distante. Do Sol precisamos manter uma certa distância, mas em relação a Deus, precisamos da Sua presença íntima em nossas vidas para recebermos Seu calor e assim termos condições de “transmitir” esse calor a tantos que precisam. Quanto mais nos distanciamos Dele, menos O sentimos e menos conseguimos ouvi-Lo. O barulho e a agitação do mundo impedem-nos de ouvir o Seu sussurro, precisamos diminuir o volume das coisas do mundo para ouvi-Lo. Quando nos alimentamos, uma das funções do alimento é nos conservar com a temperatura corporal sempre aquecida, e se sofremos uma baixa da temperatura (hipotermia), podemos morrer. O mesmo ocorre espiritualmente; a falta do alimento espiritual nos retira o calor que vem Dele e podemos morrer espiritualmente.

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16


Continuar lendo...

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

CENÁRIO MÓVEL

“O alvorecer de um novo ano pode trazer dúvidas e medos para alguns, assim como pode indicar segurança e alívio para outros. Mas, para quem está em Cristo, a lembrança da promessa d’Ele de sempre andar conosco nos faz olhar sempre para frente, como se cada dia fosse um ano novo”


“... e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”. Mateus 28:20b


Na maior parte das peças apresentadas em teatros, vemos as trocas de cenários durante a apresentação chamando a atenção para o novo ato apresentado. Isso me faz refletir na beleza do que Deus faz na vida real ao nos presentear com “cenários móveis” conforme vão ocorrendo as mudanças das estações; outono, inverno primavera e verão. Em cada uma dessas estações, observamos a natureza ao nosso redor se transformar. Vejo isso como uma pitadinha de Deus no visual ao nosso redor dia a dia. Cada novo dia representa uma nova condição e um novo cenário. Podemos associar cada uma dessas estações também com as fases da nossa vida que culmina com o inverno, representando a velhice. Se tomarmos esse exemplo, devemos lembrar que após o rigoroso inverno, tudo renasce com o surgimento da primavera colorida prenunciando o verão. Ou seja, após a velhice e a morte, nós, Cristãos, cremos no renascimento e numa vida diante de Jesus.


No Brasil, pelo tamanho e posição geográfica, não conseguimos observar essa mudança tão fortemente. No sul do país temos essa variação um pouco mais acentuada. Estive há poucos dias no Colorado (EUA), onde o próprio nome do estado já nos remete ao visual colorido que esse estado possui. Ali, é deslumbrante vermos a natureza em qualquer data do ano, porém, no outono, quando as folhas mudam de cor e começam a cair, ficamos extasiados diante da beleza à nossa frente. Nessa minha volta a esse estado no início de dezembro, fui visitar um irmão em Cristo que mora em Loveland, e antes de irmos à casa dele, demos um passeio nas montanhas e foi de tirar o folego tamanha exuberância do cenário preparado por Deus. As luzes com detalhes que imitam neve nas árvores artificiais e ou naturais mundo afora na época de Natal podem ser belas, mas não se comparam com o que vemos no “cenário divino”.


Essa comparação entre o artificial e o natural e as portas de um novo ano nos fazem refletir sobre a satisfação e alegria temporal de beleza e bens materiais em relação à beleza eterna daquilo que Cristo preparou para nós. Quem já O tem em seu coração sabe que é impossível qualquer tentativa de comparação. Como está escrito: “As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam”. 1 Coríntios 2.9. Podemos achar que o ano novo será mais belo e melhor, porém, nada se compara à beleza que Deus tem para você. Busque-O e verá os cenários dos “atos” da sua história mudarem e transformarem o passado em novidade de vida.


Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.


Isaías 55:6
Continuar lendo...

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Direito de Crer

“Deus nos conferiu o livre arbítrio. Crer ou não crer não é uma imposição. Já os evolucionistas não querem nos dar o direito de não crer na teoria deles, eles arbitraram: é assim e ponto final”

Estou lendo um livro de um grande jurista americano, Dr. Phillip E. Johnson, chamado: “Darwin no banco dos réus”. Nesse livro, ele, como jurista, mostra que a teoria da evolução seria condenada caso fosse discutida jurídicamente diante das “pseudo provas” que os evolucionistas tentam nos impor. Essa análise seria reprovada pelas áreas da Paleontologia, Embriologia e mesmo Geologia, entre tantas outras divisões da ciência que tentam impor como verdade aquilo que se deduz de observações em um pequeno espaço de tempo. Como por exemplo: existem poucos exemplos de esqueletos de animais intermediários entre uma espécie e outra (menos que os 5 dedos de uma das mãos) e além de tudo não são aceitos por um grande número de Paleontologistas. Muitos cientistas estão em dúvida, portanto, da validade geral da teoria de Darwin. Vejam a citação do Paleontologista britânico Colin Petterson: “Podemos apontar para um mistério e chama-lo de ‘evolução’, mas isso é apenas um rótulo. A questão importante não é se os cientistas concordam com um rótulo, mas quanto eles sabem sobre como os seres vivos complexos como nós passaram a existir”.

Devemos ter em mente que quando um cientista afirma alguma coisa não significa que ela se transforma em verdade. Verdade científica é algo que podemos reproduzir em experimentos controlados, e no caso da evolução como descrita é uma teoria, e acho brilhante uma outra colocação do Dr. Colin Patterson: “ Na ausência de uma explicação de como as transformações fundamentais possa ocorrer, a simples declaração que – os humanos evoluíram dos peixes ─ não é impressionante. O que faz a história do peixe impressionante e crível é que os cientistas acham que sabem como um peixe pode se transformar em um ser humano sem intervenção milagrosa”. Como podemos rapidamente perceber (embora haja ainda muito mais a ser mostrado e falado) é que a teoria da Evolução nada mais é do que a observação daquilo que foi criado e travestido de roupagem científica, tentando dar sentido à vida em geral sem a necessidade de um Criador. Claro que podemos pinçar observações importantes do trabalho de Darwin do ponto de vista biológico. Não há como negar que os seres vivos podem ter variações e ou adaptações de acordo com o ambiente. Por exemplo; os habitantes de geleiras, como os esquimós, têm uma camada de gordura maior abaixo da pele, o que lhes dá maior condição de resistir a frios intensos. Mas isso para mim significa mais um cuidado de Deus com tudo que Ele criou do que propriamente algum vislumbre de que isso possa provar a Teoria da evolução.



Outra coisa, e que poucos sabem, é que um grande número de estudos sérios que no final demonstravam resultados contrários à evolução foram considerados fracassos por aqueles que não querem nos dar o direito de crer que existe um Deus e que ele criou tudo. Eu fico com Gênesis 1:1: “No princípio criou Deus os céus e a Terra.” E tudo mais que a palavra de Deus nos traz. Nós pesquisadores damos nomes àquilo que Deus criou. Apenas isso...
Continuar lendo...

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Encobertas e Reveladas

“A lógica racional nos leva a buscar explicação científica para tudo, mesmo que sejam em teorias. A fé nos revela a Mão de Deus em tudo, com força maior do que qualquer teoria humana”.

Conversando com um amigo cientista ele me perguntou porque
creio na Bíblia se ela foi escrita por homens? Respondi com uma pergunta: E não foram homens que escreveram as leis e teorias científcas? Ele inicialmente ficou sem resposta e pensativo, e depois tentou replicar dizendo que era diferente, porque a ciência é comprovada. E novamente eu pude falar, sim as leis científicas podem sim serem comprovadas e repetidas, porém, teorias e hipóteses são as tentativas de explicação que mais chegam perto do que a comunidade científica acha que é o que aconteceu, porém sem uma comprovação final. Nesse emaranhado de teorias encontram-se duas tão propaladas a Teoria da Evolução e a Teoria da formação do Universo (o Big Ban). Ambas, deduções de observações, mas não de constatação científica cabal.

O interessante que temos visto proliferar reportagens escritas, documentários em vídeo de tentativa de explicar inclusive os milagres bíblicos. Acho grotesco o modo como tentam explicar o inexplicável. Se procurarmos na internet acharemos diversos dessas tentativas, como por exemplo, como o Mar Vermelho se abriu, atribuindo a um fenômeno possível e que isso é que deve ter acontecido. Eles não dizem que não aconteceu, mas sim que foi o resultado de interações climáticas e outros acontecimentos que fizeram com que o Mar se abrisse. A pergunta é: Mas isso aconteceu exatamente no momento que os hebreus estavam sem saída? Que tremenda coincidência. Escreverei um artigo citando várias dessas tentativas frustradas de abalar a nossa fé.

Sei que muitas coisas ainda permanecem encobertas por Deus, e que entenderemos mais a frente ou quando por final o encontrarmos. Fico muito tranquilo, pois sei nas Mãos de quem estão as coisas encobertas. Mas exulto de alegria ao lembrar como cada revelação de Deus ao mundo nos fazem entender mais e mais suas maravilhas. Ao busca-Lo com todo o nosso coração, começaremos a entende-lo melhor, e se apossar das coisas reveladas, para nós e nossos filhos conforme a promessa: “As coisas encobertas pertencem ao Senhor, ao nosso Deus, mas as reveladas pertencem a nós e aos nossos filhos para sempre, para que sigamos todas as palavras desta lei”.

Deuteronômio 29:29

Deixo uma reflexão de um grande cientista Arthur Holly Compton (1892-1962), ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1927:”"Para mim, a fé começa com a constatação de que uma inteligência suprema chamou o universo à existência e criou o homem. Não me é difícil crer isso, pois é inegável que onde há um plano, há também inteligência - um universo ordenado e em desdobramento atesta a verdade da declaração mais poderosa que jamais foi proferida: 'No princípio Deus criou'."
Continuar lendo...

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Antivírus

“O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. ” Jo 10:10

Esse versículo traz com clareza a diferença entre Jesus e o inimigo de nossas almas. Muitos não percebem o quanto tem sido roubado em suas vidas e o que tem sido destruído em todas as esferas, família, sociedade, amizades. A destruição é sutil; primeiro são destruídas as defesas espirituais da pessoa e depois disto entra toda a degeneração, levando à principal delas que é a morte espiritual. Nos últimos três anos tenho trabalhado com uma molécula que expõe o vírus do HIV retirando-o do esconderijo dentro das células para que os antivirais possam destruí-lo. Esse ataque viral me leva a uma analogia do que escrevi acima, pois o vírus do HIV entra nas células de defesa do ser humano, se modificando para poder se instalar no cromossomo da célula humana e então atacar. Veja que dessa maneira as células que deveriam nos defender dele, não podem mais fazer isso pois ele (o vírus) passou a fazer parte da célula, com isso o sistema imunológico não o detecta.

Os computadores do mundo inteiro também são atacados por vírus programados para roubar informações ou destruir e, em alguns casos, “matar” nossos computadores. São milhões de ataques diários gerando prejuízos financeiros na casa de bilhões de dólares anualmente. Sei que alguns podem pensar; “ele está espiritualizando tudo”, mas, o que penso em mostrar são as multiformes maneiras de ataques sorrateiros que há no mundo, e quem conhece bem essa luta que enfrentamos sabe que a similaridade é real, pois a nossa alma milita diariamente para não recebermos um vírus que venha a destruir o nosso espirito. Como no caso dos computadores, nós também precisamos usar diariamente um antiviral espiritual para não sermos contaminados pelo “vírus mortal” que anda em derredor. Porém, diferentemente dos antivírus de computador que precisam ser atualizados constantemente, temos uma proteção real e inesgotável, um antivírus espiritual que desde aquele dia na cruz do calvário está a nossa disposição: “O sangue de Jesus”. O inimigo tenta mudar suas táticas, se atualizar para nos enganar e invadir, mas, o sangue de Jesus é suficiente para impedir qualquer desses ataques. Às vezes, por nossa culpa e não do antiviral divino, caímos e nos machucamos. Mas logo sentimos o sangue de Jesus nos limpar e curar.

Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;

1 Pedro 5:8

Se olharmos para as nossas mãos, achamos que estão limpas, mas por mais que as tenhamos lavado recentemente, elas estão com milhões de bactérias que só não atacam e infeccionam porque a pele está sem cortes (ou melhor brechas). Porém, se tivermos uma brecha, precisamos trata-la para que a infecção não aumente e nos leve à morte. O mesmo acontece com o nosso espírito que precisa ser mantido sem brechas. E para isso, só o sangue de Jesus nos protege.

Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, de sorte que venham os tempos de refrigério, da presença do Senhor

Atos 3:19
Continuar lendo...

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Coincidência ou “Deuscidência”?


“ Deus nos fez com dois olhos, um para observar a ciência e o outro focado nas maravilhas da criação de Deus”.


http://www.nasa.gov/topics/earth/images/index.html?id=367702 (DOMÍNIO PÚBLICO)
Céticos tentam de todas as maneiras explicar que a Terra está na posição ideal para o surgimento da vida por razões do simples acaso; já que a Terra é um dos bilhões de planetas existentes no Universo. Pela visão deles (os céticos) através de teorias (não leis) procuram demonstrar que, ao acaso, nosso planeta foi brindado com as características ideais para os seres vivos. No meu entender, o mais complicado de tudo isso é que precisamos pensar que não são apenas o posicionamento e a rotação da Terra, entre outros fatos relativos a ela, que permitiram a existência da vida. Querem colocar como explicável o inexplicável; desde a explosão chamada de Big Bang, que deu origem ao universo com “zilhões” de estrelas. Atribuem a esta e outras teorias a formação de átomos e através da união destes a formação de moléculas. Posteriormente, pela união aleatória destas moléculas, no que eles chamam de “sopa primordial”, originaram-se os primeiros aminoácidos e deles as proteínas que foram se juntando para formar o primeiro ser vivo. Disso tratarei num outro artigo, aqui quero mostrar apenas certos pontos chamados de coincidência, mas que eu chamo de “Deuscidência”. Vamos citar somente alguns pontos abaixo:

Distância do Sol: A distância aproximada é de 150 milhões de quilômetros.

Se estivéssemos um pouco mais próximos, a temperatura seria quente demais impedindo a concentração de água e destruindo a possibilidade da vida. Por outro lado, se estivéssemos mais longe, a quantidade insuficiente de calor levaria o planeta a congelar por completo e dessa maneira não teríamos água fluida; indispensável para a formação da vida. Para eles coincidência, para nós “Deuscidência!

Campo Magnético: Escrevi um artigo com o título: “A Terra viaja de capacete”

Esse campo Magnético funciona como um escudo protetor, principalmente de partículas que o vento solar carrega até a Terra. Todo o ser vivo seria destruído por essas partículas. Usei o termo capacete para ilustrar a proteção que não vemos, mas que está ali nos protegendo dia após dia. Para eles coincidência, para nós “Deuscidência”.

Rotação: A Terra roda em torno de seu próprio eixo além do movimento de translação ao redor do Sol.

Essa rotação faz com que a distribuição do calor do Sol seja uniforme. Embora nas regiões mais próximas do polo, o frio seja maior. Para eles coincidência, para nós “Deuscidência”.

Gravidade Constante: Temos uma força que atrai tudo de forma constante.

Sem essa gravidade na medida certa, não teríamos como fazer atividades básicas; como nos movimentar ou levar peso. Nosso peso e forma estão relacionados a isso. Para eles coincidência, para nós “Deuscidência”.

Plantas verdes com clorofila: A clorofila transforma o gás carbônico em Oxigênio.

O suprimento de Oxigênio que precisamos é produzido pelas folhas das plantas que contém clorofila. Essas plantas distribuídas pelo planeta recolhem o gás carbônico que exalamos (e outros animais exalam, além de indústrias e carros) e transformam em Oxigênio para a sua própria respiração e o excedente é liberado na atmosfera. Para eles coincidência, para nós “Deuscidência”.

É o que diz Deus, o Senhor, aquele que criou o céu e o estendeu, que espalhou a terra e tudo o que dela procede, que dá fôlego aos seus moradores e vida aos que andam nela: Isaías 42:5

Que a grandeza da criação de Deus te leve a ver que não somos obra do acaso, mas sim imagem e semelhança do nosso Criador.


Continuar lendo...